segunda-feira, 15 de agosto de 2016

A romantização dos 18 anos

Ah, os esperados 18 anos.
A gente passa a infância, e toda adolescência esperando os 18 anos, imaginando quantas coisas vamos poder fazer, romantizando tanto esse momento, como vamos ser livres, felizes, realizados, como vamos ganhar o mundo, mas quando a gente chega aqui, vê que não era tudo aquilo, né ?

Os 18 anos, na verdade, é uma idade bem complicada, e eu arrisco dizer que uma das fases mais complicadas no jogo da vida, mas as fases complicadas tem lá no final o prazer de vencê-las.
É o momento onde temos que decidir qual faculdade vamos fazer. Alguns nascem com um sonho e uma ideia fixa de que profissão vão ter, outros (como eu) não fazem a menor ideia, mas acredito que até quem tem certeza, fica balançado nessa hora de escolher. 
É a idade onde aparecem as responsabilidades, dirigir que antes era um sonho, passa a ser uma obrigação para ir para o trabalho/faculdade. Você precisa de um trabalho. Você precisa de um curso/faculdade pra ter esse trabalho. Você precisa de um trabalho pra ter experiência, mas precisa de experiência pra ter um trabalho (eu em?!)
Você não pode correr tantos riscos, já pode ser preso.
Não é mais uma criança, mas também não é tão adulto assim.
Os romances, pra alguns é coisa fácil, pra outros (como eu) são desafios, testes de paciência, decepções atrás de decepções, você pensa que vai ser o último solteiro da face da Terra, né ? (Calma! Não vai não).
Você muda seus gostos como quem muda de roupa, antes gostava de coisas que agora não gosta mais, e agora gosta de coisas que nunca gostou.
Você começa a se preocupar com coisas que antes não dava a mínima.
Já começam as perguntinhas "quando vai casar?" "e o namorado?" "já arrumou emprego?" "e a faculdade?" "ta demorando pra namorar em? Não é mais uma criança."
Você descobre o que é gastrite, cafeina, ansiedade, medo, estresse.
E ao mesmo tempo sente que não é mais obrigado a nada. Sente que pode fazer suas próprias escolhas. Raciocina com mais maturidade, aprende a enfrentar todas essas coisas, ganha experiência, aprende lições, vive com intensidade, comete erros, corrige, aprende, chora escondido, ri de si mesmo.

Se você ainda não chegou nos 18, aproveite cada instante, saiba que toda idade tem sua beleza, sua raridade, sua graça, não romantize tanto os 18 anos, é só mais um ano de vida, que traz consigo complicações e facilidades.

E se você, assim como eu, já chegou, seja bem-vindo, CALMA, respira fundo, a gente vai passar por essa hahaha viva intensamente, não se preocupe tanto, pense com calma, temos todo o tempo do mundo, temos o mundo todo, temos todos os caminhos e escolhas, somos livres pra errar, voltar atrás, tentar de novo, errar, voltar, tentar, tentar, até chegar onde queremos. Eu, por exemplo, com 18 anos já comecei e parei uma faculdade, já me decepcionei muito, já aprendi, já tentei, já sofri, chorei (e choro muito, sou manteiga derretida), e aprendi que sorrir todos os dias também é essencial. Cada idade tem seu lado bom, tudo tem seu lado bom, isso eu com certeza aprendi. 
Sinta-se livre pra ser um tanto quando criança ainda, pedir colo pra sua mãe, abraçar, dizer que ama, rir, errar, não entender, chorar, sentir raiva, sentir medo, expressar seus sentimentos, sinta-se livre pra descobrir quem você é, do que você gosta, do que não gosta, do que quer, do que não quer, sinta-se livre pra ser você mesmo, com todas as suas complicações e com todas as suas belezas que só você tem.


Um comentário:

  1. Realmente, quando saímos da infância e entramos na adolescência, não vemos a hora de chegar logo a fase adulta, os tão esperados 18 anos. Pois a vida adulta não é fácil mesmo. E depois nos arrependemos por termos tido tanta pressa, porque, como diz minha mãe, depois dos 18 o tempo voa (eu por exemplo, nem acredito que em menos de seis meses faço 21 ahuahauha)
    Abraçz

    http://motivospelosquaisestoufelizhoje.blogspot.com.br

    ResponderExcluir